terça-feira, 30 de junho de 2015

ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E PRODUTOS DE GLICAÇÃO AVANÇADA (AGEs)

  
 AGE, do inglês Advanced Glycation End Products: produtos de glicação avançada, são compostos formados pela reação não enzimática entre  açúcares redutores e grupo amino livres de proteína, lipídeos e ácidos nucleicos. Nos alimentos essa reação é conhecida como Maillard e nos seres humanos são denominados glicação.  O que ficou por muito tempo restrito à ciência de alimentos, ganhou atenção ao se identificar diversas ações biológicas para os AGEs. Esses compostos alteram a estrutura e função das moléculas e aumentam o estresse oxidativo em sistemas biológicos.



 O organismo expressa receptores para esses AGEs em várias células, os denominados RAGEs que, quando ativados, são responsáveis por uma cascata de sinalização celular que envolve a ativação de fatores de transcrição como NF-kB que induz inflamação. Adicionalmente, já foi reconhecido que a ativação dos RAGEs sinaliza IL-6, TNF-alfa, proteina C-reativa, e portanto, evidencia-se sua relação com doenças cardiovasculares, renais, câncer, artrite, complicação do diabetes, entre outros.




A formação destes compostos, além de contribuir para o aumento do estresse oxidativo, processo inflamatório, e reduzir a eficiência de enzimas antioxidantes como glutationa, SOD e catalase, afeta predominantemente moléculas de meia-vida, como é o caso da proteína colágeno, na pele. A pele é afetada pelo processo de envelhecimento e numerosas modificações são observadas. No ser humano com o passar do tempo a pele torna-se seca, mais fina, manchas aparecem, elasticidade diminui e a rigidez aumenta, em conjunto com o aparecimento de rugas. Essas observações resultam da sobreposição de um envelhecimento cronológico intrínseco (individual e genético) e de um envelhecimento extrínseco (dependente de fatores externos, como radiação UV, poluição e estilo de vida). Uma das causas do envelhecimento cutâneo é a presença dos AGEs que atingem a derme e epiderme.   AGEs promovem danos irreversíveis às proteínas, e se acumulam com a idade em proteínas de longa vida, tais como colágeno, além de outras proteínas da matriz celular.

Os AGEs podem ser ingeridos por meio da dieta, pela ingestão de alimentos submetidos, principalmente ao calor seco ou formados endogenamente, em condições de hiperglicemia e/ou estresse oxidativo. Por isto, para reduzir a exposição aos AGEs, sugere-se adotar uma dieta que mantenha um perfil glicídico adequado, ou seja, de menor carga glicêmica, rica em antioxidantes, baixo consumo dietético de fontes desses compostos além de substancias inibidoras de AGEs.

Para reduzir o consumo de AGES por meio da dieta é importante considerar aspectos importantes na técnica dietética utilizada para o preparo dos alimentos. Em geral, os alimentos que sofrem tratamento térmico, especialmente com calor seco, como grelhar, chapear, saltear, tostar, assar ou fritar, resultam no aumento de 10 a 200 vezes nos níveis de AGEs.

Já o emprego do calor úmido evita o aumento dos AGEs durante a cocção, como é o caso do cozimento a vapor com temperaturas amenas (85 - 100 C), refogar o alimento com pouca gordura e adição de líquido, tampar a panela e finalizar o cozimento com vapor (100 - 120 C), banho-maria máximo a 100 C e cozinhar lentamente, ou seja  teor de AGEs de um determinado alimento pode variar quando cozido ou quando frito ou quando ensopado.


Composição dos alimentos

                A composição do alimento também é predominante no quesito quantitivo de AGEs. Alimentos de origem animal, especialmente as de maior teor de gordura e proteína,como carnes, queijos (principalmente o parmesão), aves, suínos, manteiga, creme de leite, margarina e maionese possuem maior teor de AGEs.

Resultado de imagem para alimentos de origem animal
                
  Produtos industrializados e submetidos a altas temperaturas como cookies, barras de cereais, leite em pó, fórmulas infantis e suplementos como whey protein, sao ricos em AGEs. As formulas infantis, por exemplo, possuem em média 70 vezes mais AGEs quando comparadas ao leite materno. Esse aumento ocorre pelo fato da maior parte dos alimentos industrializados sofrer processamento térmico, o que garante a inativação de algumas enzimas. a degradação de substâncias tóxicas e, ainda o desenvolvimento de substâncias responsáveis pela cor, aroma e sabor. Essas substâncias são características da Reação de Maillard, como já dito anteriormente, cuja reação que corre durante o processo térmico e/ou armazenamento prolongado de alimentos que contem proteínas e açúcares redutores. 

Resultado de imagem para alimentos de origem vegetal  
Em contrapartida, alimentos ricos em carboidratos, como legumes, frutas e grão integrais contêm relativamente pouca quantidade de AGEs, mesmo após o cozimento.








Uma tabela com 549 alimentos publicada recentemente pode ser visualizada neste link: http://goo.gl/7jgisJ.

A ingestão significativamente reduzida de AGEs pela dieta pode ser alcançada por meio do consumo de peixes, legumes, vegetais, frutas e significativamente
pela redução de produtos lácteos e alimentos processados.

A ingestão segura e ideal de AGEs na dieta para efeitos de prevenção de doenças ainda não foi estabelecida. No entanto, estudos apontam que o consumo não deve ultrapassar 15.000 kU.



Fonte científica:
PUJOL, Ana Paula; MICHELETO, Michely - Envelhecimento cutâneo - Rev. Nutrir, pg 36 - 38.



sexta-feira, 27 de junho de 2014

COMEMORAÇÃO SAUDÁVEL

                  Namorar é ...atrair, cativar, inspirar amor e seduzir..
            E claro que uma boa comida não pode faltar, já que todas as comemorações estão ligadas à algum tipo de alimento. Porém, uma das maiores dificuldades encontradas, quando o assunto é manter uma alimentação equilibrada é o que comer nestas ocasiões especiais. 
            Em se tratando de casais, um deve apoiar o outro, desde à atividade física ao plano alimentar, pois todos correm o risco de exagerar. 
Entao fique atento! Seguindo as dicas abaixo, você não vai extrapolar os limites e se arrepender do que comeu.
O primeiro conselho que eu sugiro é: evite sair de casa com fome, assim você pode escolher o que irá comer com calma e optar pelo que for mais saudável.
Em barzinhos:
  • Antes de sair, engane o estômago com uma porção de castanhas ou sementes, por exemplo.
  • Antes de pedir a bebida alcoólica, peça uma garrafinha de água, você ganha tempo para checar todas as opções do cardápio e escolher melhor seu drink e seu petisco.
  • Prefira drinks que você já sabe que consumirá mais devagar e tente se contentar com uma dose.
  • Use o truque de intercalar um copo de água a cada dose.
  • Prefira bebidas com menor teor alcoolico, elas são menos calóricas.
  • Cuidado com os petiscos e porções! Evite os pães com patês à base de maionese ou versões de antepastos marinados em azeite.
  • Fuja das porções fritas, busque as não-fritas, comidinhas leves como: espetinhos de legumes , palitos de cenoura e pepino com molhos à base de iogurt,  carpaccio com alcaparras

Em uma pizzaria:

·         Evite combinar pizza e bebidas alcoólicas. Os dois são considerados carboidratos, e, juntos, favorecem o estoque de gordura.
·         Prefira sempre os sabores mais leves (atum, escarola, mussarela, ricota, rúcula com mussarela de búfala), evite os recheios carregados de gordura.
·          Tente consumir a pizza com a massa fina.
·         Evite comer sobremesa.


Em um restaurante japonês:

·         Prefira os sashimis (fatias de peixe cru) aos sushis (rolinhos de arroz), pois estes são carboidratos.
·         Prefira o atum ou o namorado ao salmão.
·         Prefira os sushis com kani, pepino, peixes crus ou califórnia. Evite hot filadélfia, salmão skin e tempuras mais calóricos por serem empanados e fritos.
·         Troque os rolinhos primavera ou guiozas fritos, pela versão no vapor.
·         Prove os peixes grelhados ou opte por um mishossiro ao invés de usar pratos mais típicos da cozinha chinesa, como é comum nos rodízios.
·         Cuidado com a porção de shimeji ou shitake, divida-as com alguém, já que são preparadas na manteiga.
  • Acrescente limão espremido em seu shoyo light, além de diminuir o glutamato monossódico enriquece-o com vitamina C.

Em um restaurante italiano:.
  • Tente dispensar o couvert e fique com uma salada de entrada.
  • Divida seu prato de massa.
  • Prefira os molhos vermelhos aos brancos.
  • Tente evitar acompanhamentos na massa como: pães, queijos, azeite.
  • Evite as sobremesas ou divida-a.

Em uma churrascaria:
  • Sempre faça um prato de salada para iniciar! Abuse da salada das folhas verdes escuras e evite as saladas que contêm maionese ou batatas.
  • Prefira as carnes mais magras: alcatra, maminha, fraldinha e frango sem pele.
  • Evite picanha, costela, cupim, tender, lingüiças, queijos amarelos, carnes com bacon e coração de frango.
  • Como acompanhamento, evite os carboidratos. Se isso não for possível, troque as batatas, cebolas, mandiocas e polentas fritas, por pouco arroz de preferência integral.

Em um restaurante Árabe:
  • Prefira os salgados assados aos fritos. Uma boa sugestão é comer o quibe cru e não o frito, mas cuidado com o excesso de azeite para o tempero.
  • Evite muito pão com patês!!!
  • Abuse das saladas e tabule, experimente abobrinha recheada de carne e manere na porção de arroz e charutinhos com arroz.
           
    Depois da comemoração, retorne à refeição habitual e à sua reeducação alimentar correta. Quando ocorre uma viagem e surge a necessidade de se alimentando fora de casa, o ideal é sempre tentar aproximar ao máximo de nossas regras alimentares. Quando essa opção não for possível, transforme esse momento em uma exceção ao seu plano alimentar. E como toda exceção só existe quando há uma regra, fica muito mais fácil retornar a normalidade depois e não perder o foco. Lembre-se para ter uma dieta saudável é preciso fazer boas escolhas!!